Motos: Vantagens, desvantagens e custos

A moto é um veículo a motor de duas rodas (termo técnico) que proporciona uma sensação única de liberdade a todos os utilizadores. Além disso, tem inúmeras vantagens para quem realiza várias viagens por dia e utiliza esta máquina como meio de transporte.

As vantagens para se fazer as deslocações diárias em duas rodas podem ser muitas, mas aqui ficam as que eu penso serem as principais e mais comuns:

  1. Evita as filas
  2. Fácil de estacionar
  3. Apresentam um menor consumo de combustível
  4. Meio de transporte mais rápido que os demais
  5. Fácil de conduzir
  6. Menos poluente que os outros meios de transporte
  7. Possibilita estar mais alerta/consciente
  8. Oferece uma maior individualidade e personalidade

Mais informações no link em baixo:

https://motoclube.com/artigos/10-principais-vantagens-deslocacoes-moto

Poderia estar aqui o resto do dia a enumerar as vantagens, mas também, como não podia deixar de ser, existem desvantagens tais como:

  1. Estar exposto aos elementos
  2. Maior risco de lesões graves em caso de acidente
  3. São mais fáceis de serem roubadas do que os automóveis
  4. Número de passageiros reduzido
  5. Equipamento de segurança necessário

Deixo aqui alguns links interessantes sobre os cuidados a ter:

https://www.andardemoto.pt/moto-dica-longas/188-seguranca-em-duas-rodas/

https://www.andardemoto.pt/opinioes/37523-andar-de-mota-o-lado-menos-sexy-da-coisa/

Tendo referido as principais vantagens e desvantagens que levante o braço quem nunca teve inveja quando viu uma moto a passar pelo meio dos engarrafamentos (até eu quando estou de carro). As vantagens de circular de moto sobretudo na cidade parecem óbvias e não é por acaso que os estafetas a usam como transporte mais frequente. Aquele tal «último quilómetro», que tantas dificuldades causa aos automobilistas e empresas de distribuição, devido aos problemas de mobilidade urbana, fica assim resolvido. Estudos apontam até que, se 10% do parque automóvel fosse substituído por motos, haveria 40% menos de engarrafamentos. Curioso, não?

Mas vamos falar de algo que normalmente as pessoas que começam a andar em duas rodas se esquecem ou relativizam, por vezes com consequências para a sua segurança e a dos outros. Bom, eu acho que, qual treinador de bancada que o equipamento ideal para andar de mota deve estar de acordo com o tipo de mota que se conduz ou pensa em adquirir. Deve também estar também ligado ao tipo de percurso que normalmente se faz em duas rodas e ainda se a utilização será diária ou sazonal. Pois se um fato de pele integral é indicado para andar num circuito de velocidade já não será muito útil para as deslocações do dia a dia.

Entre o obrigatório capacete, o casaco, luvas, calças, botas e outros apetrechos para tornar a mota mais confortável podemos estar a olhar para uma despesa entre poucas centenas até pelo menos um milhar de euros.

Mas vamos por partes, o capacete que é o obrigatório (assim não fosse e havia quem não o utilizasse) deve estar de acordo com o tamanho da cabeça e o tipo de utilização que lhe vamos dar uma vez que existem mais do que um tipo de capacete com um leque muito diverso de preços. No meu caso em concreto e depois de ter tido um acidente no final do ano passado optei por um capacete modelar em vez de um integral pois as deslocações são geralmente curtas e com um valor de 124€ acho que tem uma boa relação custo/benefício. Embora não devêssemos por um preço na nossa segurança existem capacetes para todas as bolsas com preços entre os 50€ e os 1000€. Existem capacetes integrais, modelares, jet e off-road de todas as cores, padrões, marcas e fabricantes, mas como são obrigatórios não vou alongar-me sobre o assunto e deixo alguns links que encontrei e que vão mais fundo sobre o assunto:

https://motoclube.com/artigos/tipos-capacetes

https://www.sapo.pt/noticias/desporto/como-escolher-o-melhor-capacete-de-moto_5b61d118d72bdf5116ae3309

Outro dos equipamentos que para alem dos obrigatórios capacetes vemos uma esmagadora maioria dos motociclistas a usar são os casacos. Cada vez mais a indústria se tem desenvolvido no sentido de dar resposta às necessidades do mercado. Assim, existem casacos capazes de se adaptar aos vários estilos de utilização, adaptados às temperaturas mais elevadas assim como ao frio extremo. Circular de manga curta não só é um risco para a sua segurança, como também é desagradável a ritmos mais acelerados.
Já existem casacos finos e leves feitos em têxtil perfurado para uma maior entrada de ar, que contam com protecções obrigatórias e algumas zonas de couro e pele em locais susceptíveis de queda, como ombros, cotovelos e costas ficando assim sem desculpa aqueles que dizem não usar casaco por ser pesado e desagradável. A grande maioria conta com capas interiores facilmente extraíveis e impermeáveis, para o caso de o tempo refrescar ou até mesmo se chover. Assim, o casaco de verão pode também ser usado na primavera e no outono, em função das capas que decida utilizar, mas durante os meses de inverno mais chuvosos não dispenso o casaco de chuva que visto por cima do casaco principal. Para comprar um casaco têxtil facilmente gastamos 100€ ou mais dependendo de onde se compra (online/loja) e desse valor em diante o tamanho da carteira será o limite para cada um. Também podemos pensar em comprar um casaco em pele, mas pessoalmente para as deslocações diárias não vejo vantagens uma vez que já passei pelo menos por dois acidentes de moto com casacos têxteis e não tenho do que me queixar.

Quanto ao uso de calças próprias para andar de mota eu pessoalmente já usei, mas acabei por deixar de usar pois são muito desconfortáveis em pequenas deslocações. Não condeno ninguém por não usar, mas quando vejo alguém circular de mota em calções dá-me arrepios na espinha. existem vários tipos de calças casual para motociclista, elegantes e aptas para a circulação em cidade enquanto outros modelos que são mais indicados para viagens mais longas. Dificilmente passam despercebidas como roupa de vestir, sem deixar de ser muito seguras, e capazes de proteger. Têm protecções de joelho e de quadril que se retiram com facilidade para andar pela cidade, assim como zonas elásticas que as tornam mais flexíveis do que as típicas calças de inverno. As calças de ganga motard são outra das que podem ser levadas em conta na hora de comprar, a ganga é algo diferente da que conhecemos, mas disfarçam muito bem na estrada embora a proteção contra os elementos como a chuva sejam quase nulas. Na parte de trás incluem ainda uma tira de fibra de kevlar que protege desde a parte de baixo das costas até à parte de trás das coxas, com diferentes espessuras e materiais tais como o carbono e fibra de vidro. Custos médios entre 50 a 150€ tanto para as de ganga como para as calças têxteis isto para modelos mais acessíveis.

Ter um calçado apropriado para andar de mota pode parecer exagerado e uma despesa acrescida desnecessária, mas acreditem quando tive o primeiro acidente de mota foi algo que me ajudou e muito a evitar lesões ao nível dos pés. Desde então que o seu uso no meu dia a dia passou a ser inquestionável. Existem vários tipos de calçado, mas podemos dividir em 3 grandes grupos (visão pessoal) que são as botas de pele com cano alto, as botas de cano baixo e ainda as que se assemelham a um sapato normal, ou desportivo ainda que mantendo algumas protecções. Os valores variam conforme a compra seja feita em loja ou online e consoante a marca, mas podemos falar em valores entre os 75 e os 200€ (75 a 150€ modelos mais acessíveis).

Existem um cem número mais de artigos que merecem destaque como casacos e calças de chuva, balaclavas, coletes reflectores assim como variadíssimos acessórios para tornar as viagens de mota mais confortáveis, mas quero finalizar com as luvas sem as quais vejo muitos circular com a desculpa “faz-me calor nas mãos” ou “tira-me a sensibilidade” enfim!… Para quem trabalha com as mãos (de uma forma geral todos…) as luvas são um must-have mesmo em viagens curtas pois os acidentes não tem dia nem hora marcada. As luvas devem estar ajustadas á mão e podem ser tanto têxtil como pele. Pessoalmente prefiro pele e de uma marca que me dê confiança. Quanto a valores mais uma vez diferem se compradas na loja ou online, mas podem ir de 15 até aos 150€ para modelos mais caros.

Conclusões:

Não me considero um especialista pelo que a consulta de um deverá ser ponderada, mas do meu ponto de vista e da minha experiência de cerca de sete anos a conduzir mota são estes os principais acessórios que aconselho a comprar para andar de mota. E para comprar todos eles gastei cerca de 330€ sem somar outros acessórios como viseiras extra ou tapa punhos que tenho instalado na mota. Pode parecer exagerado, mas aquilo que se poupa em combustível e tempo de viagem mais do que compensa a despesa.  

“BOAS CURVAS”